O Artista


Desde muito cedo, o músico, intérprete e compositor baiano Lazzo Matumbi costumava frequentar o dia santo de São João no bairro da Federação, mesmo bairro do Terreiro do Gantuá de Mãe Menininha, na cidade de Salvador, Bahia. A música tocada nessas ocasiões ainda era o samba de roda do Recôncavo Baiano, na formação típica do samba chula com viola o pandeiro, atabaque, prato e taubinha (pedaços de madeira), e as vozes entoando cantos do dia de um trabalhador dos engenhos de cana de açucar .    Nesse ambiente, surgiram as primeiras composições e, ao apresentar suas primeiras canções nas rodas de amigos, começou chamar a atenção pelo timbre e a beleza da sua voz. Rapidamente se tornou em uma grande revelação no meio artístico passando a ser conhecido como Lazinho (O Diamante Negro). Por conta desse talento foi convidado para a ala de canto do Bloco Afro Ylê Ayê, em 1979, conhecido como “o mais belo dos belos”, do bairro da Liberdade (maior bairro negro do Brasil). Em 1981 Lazzo Matumbi inicia carreira solo tendo o samba como sua fonte principal de criação, incorporando influências de ritmos como maracatu, xote, baiao e o reggae. Suas maiores inspirações são Bob Marley, Ray Charles e Marvin Gaye.  Em 1991 Lazzo aceita o convite de Jimmy Cliff para abrir os shows da tournee por vários países ao redor do mundo, temporada que durou 3 anos. Durante esta parceira com Jimmy Cliff, Lazzo realiza um encontro inevitável com a Jamaica passando uma temporada na Jamaica onde dedicou-se a pesquisa do reggae, dando um mergulho ainda maior na obra do seu grande ídolo: Bob Marley. Desta experiência Lazzo produziu um álbum com a participação de músicos jamaicanos.  Lazzo Matumbi tem oito discos gravados ao longo de 37 anos de carreira e é a maior referencia na Bahia por ter uma forma peculiar de cantar influenciando toda uma geração de cantores. Carinhosamente é chamado pelos seus admiradores de  “a voz da Bahia”.


.

Conexão Bahia & Jamaica


 Tive a sorte de trabalhar com Jimmy Cliff nos anos 90. Eu abria os shows dele com três músicas minhas e fazia também backing vocal e percussão. Aquela foi uma experiência  muito prazerosa e gratificante! Mas o que mais me deixou feliz foi a oportunidade de ir até a Jamaica e estudar de perto sobre aquilo que, aqui no Brasil, eu só ouvia. Gravei um demo no estúdio do técnico que trabalhava com Jimmy, com apoio de alguns músicos que faziam parte da banda, como Maurice Gordon, Dj Courtney, dentre outros. Aquela foi uma experiência ímpar. Fizemos o percurso musical da Bahia a Kingston e de Montego Bay de volta à Terrinha. Foram todas essas vivências e trocas que resultaram no disco Arte de Viver, com o Axé dos Deuses caribenhos e baianos, numa simples herança de Mamãe África. ​​​​​​​                                                        

 Lazzo Matumbi


Ouça​​​​​​​ as faixas "Sometimes"  "Olhar da Menina" "Tudo Faz Sentido"  

Clique na Imagem

14 DE MAIO​​​​​​​

Clique na Imagem

Eu tinha assistido uma palestra do Professor Hélio Santos em que ele falava muito sobre a questão da escravidão do Brasil, e enfatizava o dia 14 de maio como o dia seguinte, como o dia que o homem negro do Brasil escravizado teve a sua liberdade, e só a sua liberdade; não havia cidadania, não havia escola, não havia emprego, não havia nada. E, a partir daí, houve um longo 14 de maio. Eu fiquei com aquilo dentro de mim, martelando, martelando...Um belo dia eu comecei a escrever: "no dia de 14 de maio eu sai por aí, não tinha trabalho nem casa, não tinha aonde ir, levando a senzala na alma subia a favela pensando em um dia descer; mas eu nunca desci...

​​​​​​​

Jorge Portugal        

Compositor e músico de alto nível, Lazzo sempre dividiu, no entanto, a maior característica de sua versatilidade de arte de um cantor com suas outras habilidades de músico e compositor. Mas no álbum "Nada de Graça", seu quinto CD, o artista corrige essa trajetória e aparece de cara, no seu melhor artístico. "Nada de Graça" é um CD interpretado por um cantor e intérprete, embora das doze músicas presentes apenas três não sejam de sua autoria.

É dentro deste trabalho, seguindo os passos de seu sucesso "Arte de Viver" (1995), que Lazzo mostra sua voz poderosa, tom inconfundível para cortar danças reggae, baladas de soul ou reggaemuffin, expandindo no espectro de quem superficialmente sabe a totalidade. Hoje Lazzo é um artista de muitas dimensões. Um intérprete e cantor que faltava à música brasileira.

Nada de Graça

Álbum Completo Remasterizado

Álbum Completo Remasterizado

Lazzo Matumbi 2013

Tudo começou com uma viagem que fiz para Amsterdam, em setembro de 2008. Íamos fazer um show e, como não pude levar comigo o guitarrista que já tocava na banda, convidei o músico arranjador Jorge Solevera. Ele se interessou em produzir meu novo disco, o que coincidia com o meu desejo de ter novas canções gravadas para apresentar ao meu público, dessa vez, com uma diferente assinatura, não sendo a minha, como habitualmente. Abracei essa oportunidade e logo a  ideia se concretizou, resultando num disco lançado em 2013, intitulado “Lazzo Matumbi”. O disco foi indicado para o Prêmio da Música como melhor do ano, quando  também concorri como a melhor voz, ao lado de grandes estrelas da MPB, como Sérgio Lorozza e o Grande Calbi Peixoto. Senti-me bastante gratificado e feliz pelas oportunidades com esse novo disco. Hoje só agradeço, desejando muito Axé, sempre.​​​​​​​


ATRÁS DO POR DO SOL​​​​​​​

30 an0s

Clique na Imagem

Vem Correndo Me Abraça Me Beija

A primeira coisa que pintou foi o refrão. Ô, ô, ô. Vem correndo me abraça e me beija. Eu pensei "Cara, esse negócio dá pedal". Aí começamos. Vem provar do meu encanto, vem dizer que eu não fui tanto, neném. Onda do mar me levou, que é a nossa história, me levou, mas hoje estou aqui. Onda do mar me levou e eu resisti. Eu não imaginei, no meio daquela euforia do axé music, que essa música ia pegar. 

ENTREVISTA​​​​​​​

Ouça No Spotfy​​​​​​​​​​​​​​

Clique Na Imagem Ouça Álbuns Completo​​​​​​​​​​​​

Deixe Sua Mensagem​​​​​​​